Consórcio



Press Releases

24/09/2020

Release - Matéria de setembro de 2020 - Sistema de Consórcios: um dos caminhos para a retomada econômica do país

Sistema de Consórcios: 
um dos caminhos para a retomada econômica do país
 Análise do potencial dos créditos pendentes de utilização revela sua versatilidade 
No oitavo mês, recordes de adesões confirmam a recuperação do Sistema, enquanto participantes chegam a inéditos 7,50 milhões

Sempre que as crises econômicas acontecem, seja qual for sua origem, o governo lança mão de alguns instrumentos para tentar conter seus efeitos. A facilitação de crédito, parcelamentos de débitos e prorrogação de vencimentos de impostos são alguns mais comuns.
 
Ao realimentar o meio circulante, o crédito fica mais facilitado e isso leva as pessoas a ampliar o consumo, aquecendo a economia.

Trata-se de características inerentes ao sistema capitalista, cujo funcionamento se dá em ciclos econômicos. Exemplo disso, foi a previsão do bilionário e investidor norte americano Raymond Thomas Dalio, ou Ray Dalio, como é chamado, que anteviu a crise de 2008, ao afirmar que a economia tem dois ciclos básicos de desenvolvimento:
  • Short Term Debt Cycle STDC (Ciclo de Dívida de Curto Prazo).
  • Long Term Debt Cycle LTDC (Ciclo de Dívida de Longo Prazo).
Os dois ciclos são caracterizados pela expansão do crédito. Porém, o LTDC, quando realimentado constantemente leva à insolvência. 

No chamado ciclo de dívida de curto prazo (STDC), onde o aquecimento da economia se dá por meio da facilitação de linhas de crédito, há uma corrida ao consumo, ocasião em que as pessoas tomam mais dinheiro emprestado e aumentam seu endividamento.

Contudo, no curto prazo, o alto volume de dívidas compromete a renda das famílias, que, com o consequente aperto no orçamento, diminuem os gastos, desaceleram a economia e provocam efeitos já conhecidos como a retração do comércio, redução da produção e o desemprego, repetindo a cadeia de consequências. Esse curto período de crescimento é costumeiramente chamado de "voo de galinha", pois não se mantém por muito tempo.

A ocorrência desses movimentos de expansão e contração da economia cria condições perfeitas para a crise de dívida de longo prazo.

No contraponto, por ter como característica principal o planejamento, a educação financeira e disciplina, o Sistema de Consórcios contribui para um crescimento mais sólido e duradouro da economia. Ao considerar essas particularidades, a assessoria econômica da ABAC Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios analisou um dos indicadores bastante significativos da modalidade: os "créditos pendentes de utilização".
 
São créditos pertencentes a consorciados contemplados que ainda não os utilizaram e aguardam o momento mais adequado para a compra do bem ou contratação de serviço. 

Esses cotistas se encontram em uma situação privilegiada, "com a faca e o queijo na mão", prontos para adquirir bens com objetivos diversos, tais como rendas futuras com aluguéis ou advindas do uso de veículos para trabalho e transporte, ou máquinas e equipamentos utilizados em processos produtivos ou na prestação de serviços, ou simplesmente realizar seu sonho de consumo, sempre de forma programada. Considerando os mais de 500 mil créditos pendentes de utilização, possivelmente muitos desses consorciado já quitaram boa parte de suas parcelas beneficiando a economia com um consumo mais sustentável financeiramente, ou seja, com menos endividamento. 
Os números, impressionam, e mostram o potencial que o Sistema de Consórcios possui neste momento de retomada da economia.

O estudo se ateve aos segmentos de imóveis, veículos pesados, veículos leves e motocicletas, onde há diversidade de interesses. 

Na análise, os volumes por segmento apresentaram as seguintes situações:

Segmento de Veículos Pesados - Ao incluir caminhões, ônibus, tratores, máquinas agrícolas e implementos rodoviários, a soma disponível dos créditos não utilizados é 192% maior que as vendas do mês de junho, ou seja, temos uma potencial comercialização de 3 veículos para cada 1 negociado no país.

Segmento de veículos leves - Neste setor, que conta com automóveis, utilitários e camionetas, a relação é de 2 veículos para cada 1 vendido, visto que a disponibilidade de créditos não utilizados é 131% maior do que as vendas totais de veículos leves, por exemplo, do mês de junho no Brasil.

Segmento de motocicletas - A exemplo do segmento de pesados, para motocicletas temos também uma relação de quase 3 veículos para cada 1 negociado, pois em junho a quantidade de cotas contempladas pendentes de utilização representava 166% das vendas desse veículo no país.
 
                                        
Segmento de imóveis - Na análise do segmento de imóveis, foram utilizadas as aquisições via financiamento, que, somadas àquelas adquiridas por meio do Sistema de Consórcios, totalizaram 38.100 imóveis, como residências, apartamentos, terrenos, casas de veraneio e comerciais, adquiridos parceladamente em junho. 

Verifica-se que o estoque de créditos pendentes de aquisição é 128% maior do que o total vendido em junho por intermédio de uma das duas alternativas, ou seja, 2 imóveis para cada um financiado.
 

Por fim, ao valorizarmos as cotas com o tíquete médio de junho, atingimos o equivalente a R$ 35,6 bilhões de reais.
Ao relacionarmos a participação dos valores de créditos pendentes de aquisição com o PIB de 2019, constata-se o percentual de 0,5%, e de 2,0% em relação ao PIB do primeiro trimestre de 2020.

Por tudo o que foi apresentado, o Sistema de Consórcios mostra, mais uma vez, que é um mecanismo sólido, genuinamente brasileiro e perfeitamente alinhado com o desenvolvimento sustentado de nossa economia.

Segundo Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC, "há quase seis décadas, o Sistema de Consórcios tem sido um dos alavancadores da economia. Da adesão à contemplação, a modalidade contribui direta e indiretamente para o planejamento da produção disponibilizando créditos que impulsionam os diversos setores econômicos". Para os contemplados as vantagens são inúmeras, tais como créditos com valores atualizados que de outra forma, com as baixas taxas de juros das aplicações financeiras, demandariam maior tempo para serem formados. Outra vantagem é o poder de compra à vista, o que propicia a negociação de descontos, e por fim parcelas compatíveis com a capacidade de pagamento de cada um.

Ao lembrar que nesse período nosso país enfrentou várias crises e planos econômicos, Rossi comentou que sempre presente como investimento pessoal, profissional ou empresarial, os consórcios atravessaram turbulências e funcionaram como verdadeiros "lubrificantes" da engrenagem econômica, geraram empregos, recolheram impostos, formaram consumidores conscientes da necessidade de planejamento e, por resultado,  movimentaram os setores comercial, industrial e prestador de serviços. Ao concluir, destacou que, "o mecanismo, de origem brasileira, é uma ferramenta importante para esse momento de retomada da economia".

NO OITAVO MÊS, RECORDES DE ADESÕES CONFIRMAM A RECUPERAÇÃO DO SISTEMA DE CONSÓRCIOS, ENQUANTO PARTICIPANTES CHEGAM A INÉDITOS 7,50 MILHÕES

Desde maio, quando o Sistema de Consórcios apresentou sua mais aguda retração, a constante confiança do consumidor, entendendo a importância do planejamento das finanças pessoais, e atendendo as divulgações de administradoras resultaram na melhor performance do ano consolidando a tendência positiva.

O recorde global de 314,24 mil novas cotas comercializadas, conquistado em agosto, aliás o maior mensal dos últimos quinze anos, reafirmou a força da modalidade junto ao mercado formada ainda por outros três recordes setoriais: veículos leves, motos e imóveis.

Com o melhor volume do ano, os consórcios atingiram marcas que confirmaram que a mobilização e os esforços das administradoras frente às dificuldades decorrentes do distanciamento social deram resultado. O amplo esforço das equipes, o trabalho em home office, e a utilização cada vez maior da tecnologia em suas operações foram fatores fundamentais.

"O mês de agosto ultrapassou os números obtidos nos meses de janeiro, fevereiro e julho", esclarece Rossi. Acreditamos que mantida a tendência atual poderemos encerrar 2020 melhor que 2019, inclusive superando a marca dos 7,50 milhões de consorciados ativos", projetou.
 

ALÉM DO RECORDE MENSAL DE ADESÕES, NEGÓCIOS COM CONSÓRCIOS ACUMULAM MAIS 8,6% E ATRAVESSAM A MARCA DOS R$ 92 BILHÕES NO ANO

De janeiro a agosto, o Sistema de Consórcios acelerou o ritmo forte iniciado em maio, chegando ao volume de 1,83 milhão de adesões, apenas 2,7% abaixo dos 1,88 milhão do mesmo período do ano passado. Ao demonstrar crescimento dos consumidores que planejam o futuro, consideram a essência da educação financeira e as características, que possibilitam a aquisição de bens ou a contratação de serviços a partir de boa gestão das finanças pessoais, a modalidade confirmou sua importância, apesar da pandemia.
 

Na somatória de 1,83 milhão de vendas de novas cotas no período, o maior destaque foi o volume geral com 314,24 mil e os setoriais de veículos leves, com 137,78 mil, das motocicletas, com 114,50 mil, e dos imóveis, com 37,44 mil.

Com recorde no volume mensal de negócios realizados em agosto ao alcançar R$ 17,71 bilhões, foram contabilizadas adesões que totalizaram R$ 92,28 bilhões, 8,6% acima dos R$ 84,96, no acumulado de janeiro a agosto de 2019.
 

A evolução gradativa do ticket médio ao longo dos meses influiu diretamente na intensidade dos negócios. O tíquete médio de agosto foi o melhor do ano.

O valor de R$ 56,36 mil, foi 6,0% maior que o do mês anterior, que era R$ 53,17, e 12,0% acima dos R$ 50,32 daquele mesmo mês de 2019. 
 

No cenário de uma década marcada por períodos de crescimento e crises econômicas, observa-se que entre as somatórias dos períodos de janeiro a agosto, o ano de 2020, foi o segundo melhor resultado.                   
  
As contemplações acumuladas nos oito meses aproximaram-se das 800 mil cotas. Apesar do término de vários grupos, o total 786,59 cotas foi 2,4% menor que as 806,01 mil no mesmo período de 2019.
  

Os créditos disponibilizados aos consorciados contemplados, ao longo do período, potencialmente injetados na economia, reuniram R$ 33,80 bilhões, 22,6% acima dos R$ 27,58 bilhões de 2019. 
 

O total de consorciados ativos foi 7,50 milhões, 2,7% maior que os 7,30 milhões daquele mês de 2019. Cinco setores, dos seis onde os consórcios estão presentes, assinalaram progressos: eletroeletrônicos e outros bens móveis duráveis, com 66,4%; serviços, com 40,6%; veículos pesados, com 9,8%; imóveis, com 2,5%; e veículos leves, com 1,2%. O segmento de motocicletas manteve-se estável.
 

NÚMEROS DO SISTEMA DE CONSÓRCIOS 
ESTIMATIVAS SEGUNDO A ASSESSORIA ECONÔMICA DA ABAC 
 
RESUMO GERAL E SETORIAL DAS VENDAS DE NOVAS COTAS 
JANEIRO A AGOSTO DE 2020 X 2019 
  
Em quase seis meses da pandemia, o Sistema de Consórcios conquistou marcas importantes e demonstrou sua força junto aos consumidores ao registrar recordes em diversos setores onde está presente. Nos indicadores de veículos leves, motocicletas e imóveis foi possível constatar bons desempenhos.

Apesar da baixa retração de 2,7%, considerando o momento atípico, as adesões, setor a setor, totalizaram 795,54 mil cotas de veículos leves, 649,01 mil de motocicletas, 206,91 mil de imóveis, 67,48 mil de serviços, 63,28 mil de veículos pesados, e 44,71 mil de eletroeletrônicos e outros bens móveis duráveis, somando 1,83 milhão de unidades. 
 
  
O SISTEMA DE CONSÓRCIOS - GERAL 
 
- PARTICIPANTES ATIVOS CONSOLIDADOS
  (CONSORCIADOS EM GRUPOS EM ANDAMENTO)
- 7,50 MILHÕES (AGOSTO/2020)
- 7,30 MILHÕES (AGOSTO/2019)
  CRESCIMENTO: 2,7%
 
- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS)
- 1,83 MILHÃO (JANEIRO-AGOSTO/2020)
- 1,88 MILHÃO (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
   RETRAÇÃO: 2,7%
 
- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS
- R$ 92,28 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020)
- R$ 84,96 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019)   
CRESCIMENTO: 8,6%
 
- TÍQUETE MÉDIO MENSAL (VALOR MÉDIO DA COTA NO MÊS)
- R$ 56,34 MIL (AGOSTO/2020)
- R$ 50,32 MIL (AGOSTO/2019)
   CRESCIMENTO: 12,0%
 
- CONTEMPLAÇÕES
   (CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE COMPRAR BENS)
- R$ 786,59 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2020)
- R$ 806,01 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019)   
  RETRAÇÃO: 2,4%  

- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS
- R$ 33,80 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020)
- R$ 27,58 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019)
  CRESCIMENTO: 22,6%
 
PATRIMÔNIO LÍQUIDO AJUSTADO E ATIVOS DOS CONSÓRCIOS  
 
- ATIVOS ADMINISTRADOS*
- R$ 253,00 BILHÕES (DEZEMBRO/2019)
- R$ 224,00 BILHÕES (DEZEMBRO/2018)
CRESCIMENTO: 12,9%

- PARTICIPAÇÃO NO PIB 2019
 - 3,5%
 
- PATRIMÔNIO LÍQUIDO AJUSTADO*
- R$ 16,22 BILHÕES (DEZEMBRO/2019)
- R$ 13,93 BILHÕES (DEZEMBRO/2018)
CRESCIMENTO: 16,4%

O SISTEMA DE CONSÓRCIOS - SETORES  
 
VEÍCULOS AUTOMOTORES EM GERAL (LEVES, PESADOS E MOTOS) 
COM MELHORES RESULTADOS SETORIAIS O SEGMENTO AINDA ESTEVE ABAIXO DAS EXPECTATIVAS  
 
Após quase seis meses de influência da pandemia, as adesões no setor de veículos automotores não mostraram integral retomada positiva. Também as contemplações anotaram retração.

Contudo, as reversões positivas ficaram para o volume de consorciados ativos, créditos comercializados e créditos concedidos que apresentaram crescimentos. 

- PARTICIPANTES ATIVOS CONSOLIDADOS (CONSORCIADOS)  
- 6,26 MILHÕES (AGOSTO/2020) 
- 6,17 MILHÕES (AGOSTO/2019) 
  CRESCIMENTO: 1,5%  
 
- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS) 
- 1,51 MILHÃO (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- 1,60 MILHÃO (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
   RETRAÇÃO: 5,6%  
 
- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS  
  (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 56,00 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$ 54,03 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  CRESCIMENTO: 3,6%
  
- CONTEMPLAÇÕES 
   (CONSORCIADOS QUE TIVERAM POSSIBILIDADE DE COMPRAR BENS) 
- 692,10 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- 726,65 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  RETRAÇÃO: 4,8%   

- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS  
   (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 24,51 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$ 22,34 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  CRESCIMENTO: 9,7%  
 
PARTICIPAÇÃO DOS CONSÓRCIOS EM CRÉDITOS CONCEDIDOS
PERCENTUAL DO TOTAL INCLUINDO FINANCIAMENTO*, LEASING* E CONSÓRCIO
- 21,9% (JANEIRO-JULHO/2020 - R$ 21,23 BILHÕES SOBRE R$  97,12 BILHÕES
- 18,4% (JANEIRO-JULHO/2019 - R$ 19,63 BILHÕES SOBRE R$ 106,59 BILHÕES

Fontes:  
*) Banco Central do Brasil   
**) ABAC 
 
VEÍCULOS LEVES (AUTOMÓVEIS, CAMIONETAS, UTILITÁRIOS)  
COM RECORDE MENSAL, NOVOS CONSORCIADOS ADEREM AO CONSÓRCIO COM TÍQUETE MAIOR NOS OITO MESES  
 
Tíquete médio, créditos concedidos e participantes ativos crescem no período, enquanto adesões, créditos comercializados e contemplações retraem-se, ainda por conta da influência da pandemia. 

O total das vendas de novas cotas de agosto bateu recorde histórico. Tanto neste ano como nos últimos quinze, o volume alcançou inéditas 137,78 mil cotas. 
 
 
Para os mais de 350 mil contemplados em veículos leves de janeiro a agosto, cujos créditos foram possivelmente injetados no mercado interno, anotou-se participação de 36,5% nas comercializações pelo país: aproximadamente um veículo a cada três vendidos.
 
- PARTICIPANTES ATIVOS CONSOLIDADOS (CONSORCIADOS) 
- 3,73 MILHÕES (AGOSTO/2020) 
- 3,69 MILHÕES (AGOSTO/2019) 
CRESCIMENTO: 1,1%
 
- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS) 
- 795,54 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- 825,31 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  RETRAÇÃO: 3,6% 
 
- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 35,75 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$ 37,48 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  RETRAÇÃO: 4,6% 
 
- TÍQUETE MÉDIO DO MÊS (VALOR MÉDIO DA COTA NO MÊS) 
- R$ 49,04 MIL (AGOSTO/2020) 
- R$ 47,85 MIL (AGOSTO/2019) 
CRESCIMENTO: 2,5%
 
- CONTEMPLAÇÕES* 
  (CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE COMPRAR BENS) 
- 354,77 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- 375,66 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  RETRAÇÃO: 5,6% 
* EM RAZÃO DE PARCERIA ENTRE ABAC E B3, ESTE INDICADOR PODERÁ SER DESDOBRADO POR REGIÕES E POR ALGUNS ESTADOS, BASEADO NAS UTILIZAÇÕES DOS CRÉDITOS NO PERÍODO MENCIONADO.  
 
- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 15,64 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$ 15,31 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  CRESCIMENTO: 2,2% 
 
MOTOCICLETAS 
TÍQUETE EM ALTA GERA NEGÓCIOS EM ALTA, INCLUSIVE COM RECORDE ANUAL DE VENDAS EM AGOSTO   
   
Com o crescimento de 35,6%, o tíquete médio gerou alta de 36,3% nos créditos comercializados, mesmo com a retração das vendas. Os créditos concedidos também avançaram com as contemplações em baixa.

O total das adesões de agosto registrou recorde do ano ao atingir 114,50 mil cotas. Em paralelo, o volume de participantes ativos manteve-se estável.
 
 
Os mais de 310 mil consorciados contemplados, acumulados de janeiro a agosto, potenciais compradores, contribuíram para os possíveis 55,1% das vendas do mercado interno, o equivalente a uma moto a cada duas comercializadas no país.  

- PARTICIPANTES ATIVOS CONSOLIDADOS (CONSORCIADOS) 
- 2,16 MILHÕES (AGOSTO/2020) 
- 2,15 MILHÕES (AGOSTO/2019) 
  ESTÁVEL  
 
- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS) 
- 649,01 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- 713,35 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  RETRAÇÃO: 9,0%  
 
- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS  
   (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 9,02 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$ 6,62 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  CRESCIMENTO: 36,3% 
 
- TÍQUETE MÉDIO DO MÊS (VALOR MÉDIO DA COTA NO MÊS) 
- R$ 14,55 MIL (AGOSTO/2020) 
- R$ 10,73 MIL (AGOSTO/2019) 
  CRESCIMENTO: 35,6% 
 
- CONTEMPLAÇÕES* 
   (CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE COMPRAR BENS) 
- 311,06 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- 326,00 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
RETRAÇÃO: 4,6% 
* EM RAZÃO DE PARCERIA ENTRE ABAC E B3, ESTE INDICADOR PODERÁ SER DESDOBRADO POR REGIÕES E POR ALGUNS ESTADOS, BASEADO NAS UTILIZAÇÕES DOS CRÉDITOS NO PERÍODO MENCIONADO.  
 
- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS  
   (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 4,29 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$ 3,49 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  CRESCIMENTO: 22,9% 
 
VEÍCULOS PESADOS  
(CAMINHÕES, ÔNIBUS, SEMIRREBOQUES, TRATORES, IMPLEMENTOS) 
CRESCIMENTO GRADUAL INDICA BOAS EXPECTATIVAS ATÉ DEZEMBRO 
 
Incluindo caminhões, máquinas agrícolas (tratores), implementos rodoviários e agrícolas, o setor de veículos pesados vem gradativamente ampliando as vendas de novas cotas mês a mês. O volume atingido em agosto é equivalente ao de janeiro, indicando um posicionamento importante para um segmento considerado essencial neste momento de pandemia. 

De janeiro até agosto, houve estabilidade nas adesões na comparação dos mesmos períodos do ano passado com o atual.  Com forte aumento de 37,9%, o tíquete médio mensal provocou alta de 13,0% no acumulado dos negócios.
 
 
As contemplações e os correspondentes créditos concedidos no período demonstraram avanços. Por incluir basicamente bens de produção, no transporte e no agronegócio, há boas projeções de crescimento para o segmento até dezembro. 
   
PARTICIPANTES ATIVOS CONSOLIDADOS (CONSORCIADOS) 
- 362,34 MIL (AGOSTO/2020) 
- 330,15 MIL (AGOSTO/2019) 
  CRESCIMENTO: 9,8%  
 
VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS) 
- 63,28 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- 62,50 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  ESTÁVEL  
 
- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS  
  (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 11,22 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$   9,93 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  CRESCIMENTO: 13,0%  
 
- TÍQUETE MÉDIO DO MÊS (VALOR MÉDIO DA COTA NO MÊS) 
- R$ 205,41 MIL (AGOSTO/2020) 
- R$ 148,91 MIL (AGOSTO/2019) 
  CRESCIMENTO: 37,9%  
 
- CONTEMPLAÇÕES 
  (CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE COMPRAR BENS) 
- 26,27 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- 25,00 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  CRESCIMENTO: 5,1%   
  
- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS  
   (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 4,58 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$ 3,55 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
  CRESCIMENTO: 29,0%  
   
IMÓVEIS
CRÉDITOS COMERCIALIZADOS CRESCEM PUXADOS PELO AUMENTO DO TÍQUETE MÉDIO

O acumulado de adesões, durante os oito meses, registrou ligeira alta, revertendo a tendência anterior. Ainda sofrendo influência da pandemia, o setor vem reagindo, inclusive com expressiva alta de 37,9% no tíquete médio que gerou 16,5% de aumento nos créditos comercializados.

A estabilidade nas contemplações não influenciou os correspondentes créditos concedidos que cresceu mais de 75%. O total de participantes ativos mostrou evolução aproximando-o de um milhão, mesmo com o encerramento de grupos.

O total das adesões de agosto registrou recorde do ano e dos últimos quinze ao atingir 37,44 mil cotas. 
 
De janeiro a agosto, 2.182 consorciados-trabalhadores, participantes dos grupos de consórcios de imóveis, utilizaram parcial ou totalmente seus saldos nas contas do FGTS para pagar parcelas, ou quitar débitos, bem como ofertar valores em lances ou complementar créditos, somando pouco mais de R$ 102,83 milhões, de acordo com o Gepas/Caixa. 
 
 
- PARTICIPANTES ATIVOS CONSOLIDADOS (CONSORCIADOS) 
- 988,55 MIL (AGOSTO/2020) 
- 964,40 MIL (AGOSTO/2019) 
CRESCIMENTO: 2,5%
 
- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVO CONSORCIADOS) 
- 206,91 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- 203,94 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
    CRESCIMENTO: 1,5% 
 
- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS  
    (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 35,35 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$ 30,35 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
   CRESCIMENTO: 16,5%  
 
- TÍQUETE MÉDIO DO MÊS (VALOR MÉDIO DA COTA NO MÊS) 
- R$ 187,92 MIL (AGOSTO/2020) 
- R$ 155,62 MIL (AGOSTO/2019) 
    CRESCIMENTO: 20,8% 
 
- CONTEMPLAÇÕES 
   (CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE COMPRAR BENS) 
- 50,54 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- 50,71 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
   ESTÁVEL 
 
- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS  
   (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 8,90 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$ 5,08 BILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
   CRESCIMENTO: 75,2% 
 
SERVIÇOS 
AVANÇO GRADATIVO PROJETA BONS RESULTADOS
 
Com retorno gradativo das vendas de novas cotas, o consórcio de serviços em agosto manteve o ritmo dos meses anteriores, tomando maio como ponto mais agudo da pandemia. A tendência de crescimento, ainda distante dos volumes alcançados em janeiro e fevereiro, vem avançando lentamente. 

Os percentuais elevados dos indicadores levam a acreditar em boas perspectivas para os próximos meses. No período, o destaque setorial foi para créditos concedidos, com 136,8% de progresso. 
  

- PARTICIPANTES ATIVOS CONSOLIDADOS (CONSORCIADOS) 
- 144,82 MIL (AGOSTO/2020) 
- 102,98 MIL (AGOSTO/2019) 
    CRESCIMENTO: 40,6%  
 
- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS) 
- 67,48 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- 46,99 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
   CRESCIMENTO: 43,6%  
 
- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS  
    (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 620,88 MILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$ 385,60 MILHÕES (JANEIRO-AGOSTO2019) 
   CRESCIMENTO: 61,0%  
 
- TÍQUETE MÉDIO DO MÊS (VALOR MÉDIO DA COTA NO MÊS) 
- R$ 14,60 MIL (AGOSTO/2020) 
- R$   9,47 MIL (AGOSTO/2019) 
   CRESCIMENTO: 54,2%  
 
- CONTEMPLAÇÕES 
   (CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE CONTRATAR SERVIÇOS) 
- 25,47 MIL (JANEIRO-AGOSTO2020) 
- 19,35 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
    CRESCIMENTO: 31,6%  
 
- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS  
   (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 254,44 MILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$ 107,47 MILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
    CRESCIMENTO: 136,8% 

ELETROELETRÔNICOS E OUTROS BENS MÓVEIS DURÁVEIS 
ADESÕES E NEGÓCIOS AVANÇAM NOS OITO PRIMEIROS MESES  
 
O volume mensal de adesões no consórcio de eletroeletrônicos vem evoluindo gradualmente desde maio quando retomou o crescimento e mostrando que, com planejamento, o consumidor pode usufruir as características da modalidade.

Também foram conquistados significativos resultados em todos os indicadores com exceção do tíquete médio, de janeiro até agosto, apesar do momento.  
 
 
O destaque principal foi o avanço de quase 200% nos créditos concedidos sobre 2019, reafirmando a importância da modalidade junto aos diversos elos da cadeia produtiva.  
 
- PARTICIPANTES ATIVOS CONSOLIDADOS (CONSORCIADOS) 
- 103,86 MIL (AGOSTO/2020) 
-   62,40 MIL (AGOSTO/2019) 
    CRESCIMENTO: 66,4% 
  
- VENDAS DE NOVAS COTAS (NOVOS CONSORCIADOS) 
- 44,71 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- 32,52 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
    CRESCIMENTO: 37,5% 
 
- VOLUME DE CRÉDITOS COMERCIALIZADOS  
   (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 304,17 MILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$ 188,42 MILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
   CRESCIMENTO: 61,4% 
 
- TÍQUETE MÉDIO DO MÊS (VALOR MÉDIO DA COTA NO MÊS) 
- R$ 5,55 MIL (AGOSTO/2020) 
- R$ 7,32 MIL (AGOSTO/2019) 
   RETRAÇÃO: 24,2%  
 
- CONTEMPLAÇÕES 
    (CONSORCIADOS QUE TIVERAM A OPORTUNIDADE DE COMPRAR BENS) 
- 18,48 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
-   9,32 MIL (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
   CRESCIMENTO: 98,3% 

- VOLUME DE CRÉDITOS DISPONIBILIZADOS  
   (ACUMULADO NO PERÍODO) 
- R$ 135,63 MILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2020) 
- R$   45,37 MILHÕES (JANEIRO-AGOSTO/2019) 
   CRESCIMENTO: 198,9% 
................................................................................................................. 
 
GUIA CONSÓRCIOS DE A A Z 
A Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios está lançando o Guia Consórcios de A a Z. 
Todas as informações sobre o Sistema de Consórcios, desde a adesão até o encerramento do grupo. Acesse: https://materiais.abac.org.br/guia-consorcio-de-a-a-z 
 
 
 PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO ABAC - PCA 10 
A Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios disponibiliza o Programa de Certificação ABAC, destinado aos profissionais de vendas e representantes de administradoras de consórcios, sejam associadas ou não à entidade de classe. Trata-se da primeira certificação exclusiva do Sistema de Consórcios, o PCA10. 
 
CONHEÇA A CARTILHA "NA CORDA BAMBA" SOBRE EDUCAÇÃO FINANCEIRA 
  
 
OUTRAS INFORMAÇÕES SOBRE O SISTEMA DE CONSÓRCIOS PODEM SER ENCONTRADAS NO SITE www.abac.org.br
VOLTADO AO CONSUMIDOR, O PORTAL CONTA COM UMA ESTRUTURA SIMPLES E INTUITIVA PARA INCENTIVAR O LEITOR A NAVEGAR E CONHECER MAIS SOBRE OS CONSÓRCIOS. 
 
JORNALISTA, CADASTRE-SE NA SALA DE IMPRENSA DO NOSSO SITE
 
ACOMPANHE TAMBÉM OS CONSÓRCIOS PELO TWITTER - www.twitter.com/abacweb
 
Mais informações: 
Jornais, Emissoras de Televisão, 
Revistas, Sites e Emissoras de Rádio 
Claudio Licciardi 

Assessoria Abac

Rua Avanhandava, 126 - 5º andar

São Paulo - SP - CEP 01306-901

Tel.:(11) 3155-5252